O que é a Hipermetropia?

As pessoas com hipermetropia têm dificuldade em ver com nitidez a curtas distâncias. A hipermetropia é um erro refrativo que tem lugar quando os raios de luz entram através da pupila, em vez de convergir para a retina, passam por ela e convergem atrás dela.

A hipermetropia ocorre porque o olho é muito “curto”.

Quase todos os bebés (aproximadamente 75%) têm hipermetropia quando nascem.

Com o passar do tempo, os seus olhos amadurecem e na maior parte dos casos, este defeito visual é corrigido.

Embora a hipermetropia possa ser detetada numa idade precoce, por vezes passa despercebida, especialmente quando não é grave.

Para que seja detetada atempadamente, é aconselhável que a criança vá ao médico aos 6 anos para fazer um teste à visão.

Caso mostre algum destes sintomas é muito provável que tenha dificuldades em ver ao perto:

  • se não conseguir ver nitidamente as imagens ou letras de um livro,
  • se esfregar constantemente os olhos enquanto escreve,
  • se tiver dores de cabeça ou sentir grãozinhos nos olhos. 

Geralmente, esse defeito visual pode oscilar o grau até o hipermétropo ter entre 18 a 20 anos de idade.

Como se corrige a hipermetropia?

A hipermetropia pode corrigir-se com lentes monofocais que tenham a mesma graduação a toda a sua superfície. Caso o usuário para além de ser hipermétrope, seja também presbíope, recomenda-se corrigir a visão com lentes progressivas. Pois a potência varia gradualmente da área de longe para perto, permitindo uma visão confortável a qualquer distância.

A solução mais comum e conveniente para compensar esse erro refrativo é o uso de lentes oftálmicas convergentes. São também chamadas de lentes positivas: mais espessas no meio e mais finas nas bordas. Este design faz com que os raios de luz que atravessam a lente se juntem num ponto. Deste modo, que converjam na retina, oferecendo a quem as usa uma visão de perto mais nítida.

Existem duas alternativas menos frequentes para corrigir a hipermetropia. Uma é através do uso de lentes de contacto rígidas, através de uma técnica chamada ortoqueratologia. Por vezes, quando o especialista acompanha o paciente e nota que há mais de 2 anos que a hipermetropia está estável, pode propor uma solução cirúrgica para tratar o erro refrativo.

Hipermetropia é o mesmo que Presbiopia?

Embora a hipermetropia e a presbiopia causem ambas problemas na visão de perto, as causas desses dois erros de refração são diferentes:

A hipermetropia ocorre quando os olhos têm uma forma que evita que os raios de luz converguem na pupila. já a, Prebiopia (também chamada de vista cansada) é um erro refrativo provocado com o passar dos anos. Quando o cristalino, a lente natural do olho cuja função fundamental é realizar a aproximação, perde elasticidade.